Polícia Civil do Paraná alerta para golpe do falso emprego nas redes sociais

Foto de: Reprodução Rpc

A Polícia Civil do Paraná (PC-PR) fez um alerta sobre um golpe em que criminosos usam plataformas de mensagens no celular para oferecer vagas de trabalho que não existem e, dessa forma, roubar dados, senhas e dinheiro.

Continue a leitura depois do anuncio.
$ads={2}
Com a proposta atrativa, algumas pessoas clicam no link enviado e podem perder informações, ou até pagar por falsos cursos para a vaga ofertada.

"Nós temos notado durante as últimas semanas um aumento de vítimas vindo até a delegacia fazer boletim de ocorrência de tentativa de estelionato, ou seja, elas se atentaram que era um golpe, não clicaram, não fizeram pagamento de valores, mas vão até as delegacias de polícia mostrar quais são os números utilizados, ou eventualmente as contas utilizadas pelos estelionatários", disse o delegado Emmanuel David.  

De acordo com a polícia, várias pessoas afirmam ter recebido uma mensagem pelas redes sociais, principalmente WhatsApp, dizendo que foram selecionadas para ter acesso à uma vaga de emprego, em que trabalhando por poucos minutos ou horas, podem ganhar de R$ 500 a R$ 3 mil.

Conforme levantamento de uma empresa de segurança digital, de setembro do ano passado a fevereiro deste ano, 608 mil tentativas desse tipo de golpe foram registradas no país - média de 4 mil por dia.

No último recorte do primeiro trimestre de 2022 a taxa de desocupação no Paraná ficou em 6,8% no estado, quatro pontos percentuais abaixo da média nacional (11,1%). Ou seja, 5,7 milhões pessoas estão sem trabalho e podem ser vítimas desses criminosos.

Uma das técnicas utilizadas pelos golpistas é chamada pelos especialistas de "fishing", ou pescaria, em que toda mensagem conta com um link, e o golpe tem início a partir desse clique. 

"Ou seja, você vai clicar em um link malicioso e várias coisas podem acontecer, ou ele pode por exemplo pegar o seu app de conversa e ter acesso aos seus contatos e aplicar outros golpes contra seus contatos, ou ele pode simplesmente invadir o seu dispositivo e roubar os seus dados bancários, de contas, senhas, entre outros", afirma o delegado.

Curta nossa página no Facebook: 


Participe do nosso grupo no whatsapp: 
Envie sugestões de pautas e receba as notícias em primeira mão!

Fonte: Portal Nsr
Postagem Anterior Próxima Postagem
original original original original original
close