Auxílio-alimentação: governo municipal esclarece situação com fornecedor

Foto de: Divulgação

Nesta terça-feira (31), em live transmitida pelas redes sociais oficiais da Prefeitura de Toledo, o prefeito Beto Lunitti veio a público esclarecer que a administração municipal tem feito o possível para sanar o imbróglio causado pela falta ou pelo atraso no repasse da Convênios Card, Administradora e Editora Ltda. EPP, empresa que gerencia o auxílio-alimentação dos servidores públicos municipais de carreira, a estabelecimentos conveniados. Ao lado da servidora da Secretaria de Recursos Humanos (SRH) e fiscal do contrato, Jéssica Barbosa, ele assegurou que todos os compromissos assumidos pelo município no documento estão sendo rigorosamente cumpridos e que a fornecedora do serviço já foi notificada a respeito das queixas das empresas conveniadas.

Continue a leitura depois do anuncio.
$ads={2}
Beto recorda que a Convênios Card ganhou a licitação para administrar este serviço pela segunda vez e que no primeiro contrato não houve este tipo de problema.  “A primeira notificação veio a ocorrer só em fevereiro deste ano. Da nossa parte, estamos trabalhando para essas queixas chegarem ao conhecimento da empresa, porém estamos tratando aí numa relação comercial entre particulares na qual a prefeitura não tem poder de interferir. No último dia útil de cada mês a empresa coloca os créditos de R$ 450,00 em cada cartão e, alguns dias depois, depositamos o valor combinado em contrato para honrar este compromisso. Portanto, se existe algum débito nessa história, ele não é da Prefeitura de Toledo, pois estamos pagando rigorosamente em dia”, garante.

O prefeito também destacou um ponto que está no parágrafo único da cláusula sexta do contrato firmado entre município e Convênios Card. “Consta que a empresa deve ter, no mínimo, 50 empresas conveniadas, sendo, no mínimo, oito de grande porte, isto é, com seis caixas ou mais. No momento, temos 53 e, até o momento, nenhuma delas fez pedido oficial de pedido de descredenciamento”, relata. “Contudo, se houver uma debandada, e esta cláusula for descumprida, temos condições de fazer a rescisão e iniciar uma nova licitação. Claro que isso não é bom para ninguém, mas zelamos pelos interesses tanto dos servidores quanto da administração pública como um todo”, acrescenta.

Ao final da transmissão, o prefeito abordou temas que interessam ao funcionalismo público municipal. Além de mencionar o fato de que haverá um adiantamento de 40% do 13º salário no fim de junho, ele também comentou sobre a ampliação do programa “Passe Social”, que passa a contemplar com a isenção no transporte coletivo urbano os servidores que recebem até três salários mínimos, o que, para muitos, significa também o fim do desconto de 6% na holerite. 

Curta nossa página no Facebook: 


Participe do nosso grupo no whatsapp: 
Envie sugestões de pautas e receba as notícias em primeira mão!

Fonte: Assessoria
Postagem Anterior Próxima Postagem
original original original original original
close