São Francisco celebra inauguração do Cmei Sâmia Luíse Sanches Chiella

Foto de: Divulgação

A comunidade do São Francisco está em festa! Em clima de muita emoção, foi inaugurado, na manhã desta sexta-feira (18), o Centro Municipal de Educação Infantil Sâmia Luíse Sanches Chiella, o terceiro na região e o 29º do município. A obra, com 582,22 metros quadrados de área edificada, foi executada pela Buhring Construções Eireli e está localizada na esquina das ruas Jacob Alfredo Kaefer e Francisco Finkler.

Continue a leitura depois do anuncio.

Ao todo, mais de R$ 994 mil foram investidos no espaço: R$ 807 mil na construção propriamente dita e R$ 187 mil na aquisição do mobiliário. Com cinco salas de aula e uma brinquedoteca, o Cmei poderá receber até 200 alunos em meio período - de imediato, a Secretaria Municipal da Educação (Smed) chamará, até o fim do mês, 50 crianças que estão na fila de espera.

Autoridades políticas e comunitárias prestigiaram a solenidade, que também contou com a presença de familiares de Sâmia, menina de 8 anos de idade que faleceu em 7 de janeiro de 2018 após uma luta árdua contra o câncer. Várias homenagens foram prestadas a ela (confira biografia no fim da matéria), a começar pela mãe, Silvana Sanches, que cantou, na companhia da amiga Andreia Merliane, a canção “Vamos Construir”, sucesso da década de 1990 eternizado nas vozes de Sandy e Junior e de Chitãozinho e Xororó.

Em seguida, uma mensagem emocionante foi lida por Dayane Gracite ao mesmo tempo em que a diretora do Cmei, Edilaine Ortiz Condé de Souza, recebia de Silvana uma caixa de acrílico que continha uma boneca com feições semelhantes às de Sâmia. “Tal como cantei, este espaço é uma ponte que liga a necessidade que nossas crianças têm de uma educação de qualidade ao desejo das lideranças que querem o bem de Toledo. É emocionante saber que esta estrutura tão linda recebeu o nome da minha filha”, comenta Silvana. “Perder a Sâmia tão jovem foi a maior dor que tive na vida e só estou de pé porque Deus me segurou pela mão. Tenho muito a agradecer a Ele, mas hoje quero manifestar minha gratidão a todos aqueles que tiraram esta obra do papel”, destaca o pai da homenageada, Leandro Chiella. 

Conquista
Na fala das autoridades, o nome de Sâmia foi abordado com carinho várias vezes. “Sinto um prazer imenso em estar aqui entregando esta obra. É, até hoje, a inauguração mais especial da minha vida, pois, além de estar acontecendo no bairro onde moro, há toda uma atmosfera de amor aqui, uma estrutura que foi viabilizada pelo esforço de tanta gente, que vai ter o nome de uma criança tão iluminada”, comenta a secretária da Educação, Elisângela Batista. “Parabenizo o município pela escolha do nome para este Cmei foi muito acertada e principalmente por investir numa nova estrutura para a educação infantil, a qual contribuirá para a melhoria da qualidade de vida da população do entorno e, de forma indireta, para a geração de renda e emprego para as famílias beneficiadas”, avalia a presidente do Conselho Municipal da Educação, Eliana de Fátima Buzin.

Os benefícios socioeconômicos do Cmei também foram comentados nos discursos do presidente da Câmara de Vereadores, Leoclides Bisognin, e do vice-prefeito Ademar Dorfschmidt. “Há muito tempo um novo centro municipal de educação infantil não era inaugurado em nosso município, o que, de saída, vai beneficiar cerca de 50 famílias que passarão a ter um lugar seguro para deixar suas crianças enquanto trabalham. É um incremento de renda, mas também uma oportunidade para esses alunos terem um desenvolvimento melhor, pois, esse processo contará com o apoio de um professor, profissional fundamental para a existência dos demais”, pontua Leoclides. “O Brasil do futuro é forjado nos municípios, não em Brasília. Em nível local podemos fazer muita coisa, embora a responsabilidade da nossa prefeitura e de todas as outras seja gigante. Para superarmos esta dificuldades, é preciso deixar as diferenças de lado e nos inspirar nas crianças, que são capazes de amar e oferecer o que têm de melhor sem restrições, sem preconceitos”, analisa Ademar.

Neste sentido, o prefeito Beto Lunitti pediu o empenho de todos os atores envolvidos e responsáveis na promoção de uma educação de excelência em Toledo. “Fazer as crianças se ‘encantarem’ pelo conhecimento requer quebra de paradigmas em nossa rede municipal de ensino, um comprometimento de corpo e alma com o futuro delas. As coisas boas que estão reservadas para Toledo dependem de investirmos agora nesta geração que estuda em nossos Cmeis e escolas”, observa.

Presenças
Após a bênção do padre André Fatega e do pastor Lineu Schenkendt, a placa inaugural do Cmei Sâmia Luíse Sanches Chiella foi descerrada. O ato contou com a presença também dos vereadores Beto Scain, Damião Santos, Gabriel Baierle, Genivaldo Paes, Jozimar Polasso e Olinda Fiorentin; do presidente da Associação de Moradores do São Francisco, João da Cruz Paz; das secretárias de Esportes e Lazer (Marli Gonçalves Costa) e Cultura (Rosselane Giordani); do chefe de Gabinete, Marco Antônio “Pena” Borges; e do assessor jurídico, Alexandre Gregório da Silva.

Também estava no local Rosalino Casamali, proprietário da Chocolates Roma, empresa com a qual o governo municipal, por meio da Lei “R” nº 19/2016, realizou permuta de imóveis. Em troca de uma área pertencente ao município na qual a indústria tinha interesse para poder expandir suas atividades, esta ofereceu o terreno no São Francisco, possibilitando, assim, a construção do terceiro Cmei em um dos bairros mais populosos de Toledo.

Quem foi Sâmia Luíse Sanches Chiella?
Filha da professora Silvana Aparecida Galdino Sanches e do publicitário Leonardo Filipi Chiella, Sâmia Luíse Sanches Chiella nasceu em 6 de setembro de 2009. Moradora da Vila Industrial, ingressou em 2013 na turma do pré-escolar da Escola Municipal Egon Werner Bercht. 

Sempre foi uma criança muito saudável, mas em 2015 foi diagnosticada com câncer e iniciou uma longa batalha contra esta doença. A partir deste momento, recebeu todo amor e apoio tanto da família quanto da comunidade escolar da qual fazia parte.

Segundo a diretora da Egon Werner Bercht, Rosângela Cristina Follmann Decarli, Sâmia era uma menina muito especial: doce, querida, meiga, amável e dona de um sorriso lindo. “Mesmo durante o tratamento, ela frequentava a escola sempre que o estado de saúde dela permitia. Jamais me esquecerei da força com que ela me abraçou pela última vez. Sua motivação em aprender a ler e escrever, mesmo com suas limitações, nos deixa uma grande lição: não importa o tamanho da dificuldade, não se pode desistir nunca, seguir sua própria essência, pois existe sempre a esperança de que no final haverá algo maior”, comenta.

Sâmia iria cursar o 4º ano em 2018, mas não houve tempo de ela ir para a escola a tempo de iniciar aquele ano letivo. “Em 7 de janeiro, Deus a chamou para fazer parte da constelação de estrelinhas que hoje brilham lá no céu. Ela foi guerreira, lutou contra a triste doença que lhe tirou a vida, mas o seu deixar não deixou que as pessoas que conviveram com ela esquecessem da amável e adorável menina que partiu, deixando muitas saudades e lembranças maravilhosas. A partir de agora, este anjo que está no céu também estará presente no Cmei que tem o nome dela, cuidando das crianças que serão atendidas neste local”, acrescenta Rosângela.

Curta nossa página no Facebook: 


Participe do nosso grupo no whatsapp: 
Envie sugestões de pautas e receba as notícias em primeira mão!

Fonte: Assessoria
Postagem Anterior Próxima Postagem
original original original original original original
close