original original

Segundo IBGE, Toledo é o 9º município do Brasil de maior atratividade cultural

Foto de: Divulgação

O levantamento “Sistema de Informações e Indicadores Culturais (SIIC) 2009-2020”, divulgado nesta quarta-feira (8) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontou Toledo como o 9º município do país com maior atratividade específica para atividades do setor - o único do Paraná a estar entre os 10 primeiros da lista. Balneário Camboriú/SC (1º lugar), Crato/CE (2º), Parintins/AM (3º), Caruaru/PE (4º), Caldas Novas/GO (5º), Ribeirão Preto/SP (6º), Garanhuns/PE (7º), Porto Seguro/BA (8º) e Olinda/PE (10º) estão no “Top 10” da pesquisa “Regiões de Influência das Cidades - Regic”. Ponta Grossa (31º no ranking nacional), Francisco Beltrão (79º), Maringá (98º), Guarapuava (166º), Umuarama (170º), Paranavaí (206º), Candói (264º), Curitiba (315º) e Prudentópolis (316º) figuram entre os melhores do estudo.

Continue a leitura depois do anuncio.

Esta tem o objetivo de investigar “para onde a população de cada município se dirige em busca de um conjunto de produtos e serviços que não encontra no local onde reside”, incluídas aí as atividades culturais - como shows, festas, festivais, cinemas, teatros e museus. Dessa forma, Toledo consolida, no cenário nacional, o seu status de referência regional neste setor.

De acordo com a secretária da Cultura, Rosselane Giordani, o resultado do levantamento é uma ótima notícia para Toledo. “Este documento divulgado pelo IBGE confirma o que já sabíamos: as atrações que ocorrem em nosso município atrai o público de cidades vizinhas, o que impacta na economia criativa aqui desenvolvida”, avalia. “Essa pesquisa teve início em 2004 e é fruto da parceria do Instituto com o então Ministério da Cultura. É importante salientar que Toledo foi um dos primeiros municípios paranaenses a implantar o Sistema Municipal de Cultura e o Sistema de Indicadores Culturais, os quais mapeiam artistas, linguagens e atividades culturais realizadas em nosso território”, explica.

Rosselane pontua que o levantamento também contém informações sobre políticas públicas em cultura implementadas pelos entes da Federação. “Essa pesquisa apresenta o volume dos investimentos que União, estados e municípios realizaram nesta área. Enquanto o volume de recursos federais aumentou em apenas 17% no período avaliado, o dos estados, na média, cresceu 63,8% e os municípios 67,9%. Isso demonstra uma trajetória de fomento a este setor que Toledo e outras cidades do país têm percorrido nos últimos anos”, observa. 

A secretária aponta os pontos em que Toledo tem feito a diferença na área cultural. “Neste recorte temporal da pesquisa, fortalecemos os diversos festivais que promovemos e temos, ao longo de todo o ano, diversos eventos sendo realizados em nosso teatro, que é o segundo maior do Paraná. Em nível estadual, nossa Virada Cultural também é destaque. Enfim, são ocasiões que atraímos pessoas daqui e de outros municípios, fomentando também o nosso turismo, movimentando bares, restaurantes, hotéis e outros estabelecimentos do setor”, detalha. “Enfim, as políticas públicas de cultura construídas a médio e longo prazo têm um efeito positivo no desenvolvimento do município, que cada vez mais se torna um centro agregador das atividades desenvolvidas neste âmbito”, analisa.

Segundo Rosselane, as atividades culturais desenvolvidas em Toledo fazem parte da economia criativa da cidade, movimentam o cenário econômico, impactando positivamente no desenvolvimento do município. "Somos referência em cultura na região e no estado e este estudo comprova que Toledo pode ser considerada uma capital cultural, pela riqueza da cadeia produtiva da cultura, pelos bens simbólicos que produz e por ser referenciada como um polo que agrega pessoas em torno do consumo de bens culturais", destaca.

Fonte: Assessoria



Postar um comentário

Obrigado!

Postagem Anterior Próxima Postagem
close