original original

Hospital Moinhos de Vento treina equipes para atuar no estudo de efetividade da Pfizer

Foto de: Reprodução

A pesquisa observacional que tem como intuito avaliar a efetividade em vida real da vacina ComiRNAty contra a COVID-19, em Toledo, no estado do Paraná, está prestes a ter início. Nesta quinta-feira (28), o Hospital Moinhos de Vento começou a treinar as autoridades e equipes de saúde que vão atuar na coleta de dados e no recrutamento dos voluntários. O estudo é coordenado pela equipe do Instituto de Pesquisa do Hospital Moinhos de Vento e a Pfizer Brasil, em parceria com o Programa Nacional de Imunização (PNI), a Universidade Federal do Paraná e a Secretaria Municipal de Saúde de Toledo.

Continue a leitura depois do anuncio.

A preparação dos trabalhos tem o objetivo de analisar a estrutura dos locais de coleta e revisar fluxos de processos, além de integrar as equipes assistenciais. De acordo com o pesquisador principal e médico intensivista do Hospital Moinhos de Vento, Regis Goulart Rosa, a escolha da cidade já foi baseada na capacidade operacional de realizar a vacinação em massa, no sistema de acompanhamento e monitoramento de diagnósticos e de casos vacinados, além da estrutura de ponta e equipes qualificadas da universidade. “Isso facilita a auditoria de dados e nos permite chegar a informações mais confiáveis, mais precisas. Tudo isso é fundamental para analisar os impactos em prevenção de casos sintomáticos, reinfecção, internações, mortes, efeitos adversos, além de Long COVID e consequências em longo prazo atribuídas ao coronavírus, que é o que buscamos nesse estudo”, explica.

A capacitação dos profissionais da saúde é liderada por Regis e pelo médico epidemiologista Maicon Falavigna, também do Instituto de Pesquisa Moinhos. “Foi uma visita de implantação do estudo, então tudo aquilo que já vínhamos organizando pelas reuniões de forma online pudemos colocar em prática in loco fazendo o alinhamento de vários pontos como o momento do recrutamento, como e onde o paciente será abordado. Pudemos perceber como vai funcionar na prática”, avaliou a secretária de Saúde de Toledo, Gabriela Kucharski.

A iniciativa é diferente de testes clínicos de eficácia, já que estudos desse tipo são realizados num ambiente controlado de contágio da COVID-19 e se busca avaliar os efeitos da vacina contra a doença. Ao todo devem ser recrutados cerca de 4.500 voluntários, dos quais aproximadamente 1.500 serão acompanhados durante o período de um ano.
“Observar o comportamento da doença num cenário de uma população amplamente vacinada é muito importante para pensarmos em ações de prevenção. Essa iniciativa veio de encontro a um dos pilares da Pfizer em incentivar ações de pesquisa local, atendendo a necessidades da região”, afirma Dra. Julia Spinardi, líder médica da área de vacinas da Pfizer Brasil.

A Universidade Federal do Paraná fará a análise genômica das amostras positivas para COVID-19, com o objetivo de identificar possíveis variantes de preocupação do vírus. “Esta pandemia revelou que o SUS, as universidades públicas e a ciência são de extrema importância para a vida e a saúde das pessoas. O desenvolvimento do país passa sem dúvida por valorizar a ciência e acreditar em parcerias como essa”, salienta o Reitor, Ricardo Marcelo Fonseca.

Recrutamento - O início da coleta de dados está previsto para novembro deste ano. Serão recrutados todos os indivíduos que se apresentarem com sinais e sintomas sugestivos de COVID-19 e que aceitem serem acompanhados quanto à sua evolução seguindo todos os critérios exigidos pelas autoridades de ética e pesquisa. É através da análise do comportamento dos casos que surgirem na cidade que será feita a relação de efetividade da vacina. Todas as vacinas da Pfizer necessárias serão fornecidas pelo PNI à Secretaria de Saúde de Toledo.

“A visita dos pesquisadores a Toledo mostra realmente a preocupação que se tem em relação a esse estudo observacional. Toledo acredita na ciência. A população mostrou seu interesse pela vacina e, naturalmente, esperamos que esse estudo que aqui será feito e acompanhado contribua para que a ciência possa cada vez mais evoluir no processo de cuidado com a vida. Nós cremos que isso será de grande valia para o município e para a humanidade”, exaltou o prefeito de Toledo, Beto Lunitti.

Toledo - A cidade de Toledo é exemplo em relação ao cumprimento do PNI durante toda a campanha de vacinação contra a COVID-19. Essa boa condução rendeu a participação no estudo para avaliar o comportamento em uma população totalmente vacinada, além de demonstrar estabilidade do número de casos e circulação de variantes e capacidade do sistema de vigilância da cidade. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, mais de 99% da população vacinável já receberam a primeira dose, e 65% a segunda dose.

Após o período de coleta de dados, com estimativa de duração de 18 meses, as informações serão analisadas pelos pesquisadores. Com isso, a pesquisa vai mostrar o quanto a vacina é efetiva e como foi a resposta imune dos voluntários recrutados.

Fonte: Assessoria



Postar um comentário

Obrigado!

Postagem Anterior Próxima Postagem
close