VÍDEO: ‘moto fantasma’ é desvendada por engenheiro após suspeitas de internautas




Após vídeo da motocicleta andando sozinha em uma garagem, usuários levantaram suposições sobre a possível presença de espíritos, mas o instrutor do curso de engenharia de motos explica o que aconteceu.

O flagrante de uma moto andando sozinha, sem o condutor, dentro de um estacionamento em Londrina (PR), município cerca de 430 km de Curitiba, gerou diversas “teorias” sobre o que gerou o mistério entre os internautas.


Continue a leitura depois do anuncio.


Um dos usuários comentou no vídeo que “boatos de que o dono morreu em um acidente de trânsito dois dias antes disso. Me parece uma Horizon 250, não me lembro de nenhum relato dela por conta de pane elétrica”, levanta a teoria.

Isso foi em Londrina. Boatos de que o dono morreu num acidente de trânsito dois dias antes isso. E me parece uma Horizon 250. Não lembro de nenhum relato dela tendo pane elétrica tipo a da Titan que tinha e fazia ligar sozinha.

Em outros comentários, mais possibilidades de suposições espirituais. “Isso é uma coisa totalmente normal, todo ser espiritualmente evoluído sabe que após a morte alguns se apegam a coisas físicas não aceitando a morte”, ironiza um deles.

Por outro lado, houve teorias de pessoas que acreditam que não passa de apenas um problema elétrico na “motocicleta fantasma de Londrina”.

“Bem simples. Provavelmente houve um curto no relé de partida e fazendo o motor de partida acionar. Como a moto estava com a marcha engatada, ela foi para frente”, descreve um internauta.

De acordo com o professor do IEM (Instituto Engenharia das Motos), Ricardo Souza, a principal possibilidade é o problema no relé, responsável por acionar o motor de partida da motocicleta.

 

“Talvez, houve um problema nesta peça por conta da umidade e acionando o motor de arranque, um sistema de controle de potencia que faz o motor girar. Caso estivesse com a marcha engatada, ela pode dar esses ‘pulinhos’ para o lado por conta do cavalete lateral”, explica o professor.

O internauta que “desvendou o mistério” fez o alerta que o dono da motocicleta teve sorte em acabar a bateria antes mesmo de esquentar a fiação e pegar fogo. No entanto, Ricardo Souza afirma que a possibilidade de entrar em combustão é baixa.

“É muito raro pegar fogo apenas por conta do problema no relé. É necessário vazamento de combustível ou algo inflamável para chegar em um ponto de incêndio. O que pode ocorrer é apenas esquentar a fiação, mas nada muito grave que não seja resolvido levando para manutenção”, complementa o professor.

Fonte: ND Mais


Postagem Anterior Próxima Postagem