Pastora é acusada de cobrar por vaga em culto e se defende: ‘São para a obra de Deus’


 


A pastora Renalida Carvalho está sendo acusada de pedir dinheiro em troca de orações e por cobrar vagas em cultos. A religiosa é da IPTM (Igreja Pentecostal Tempo de Milagre) da Paraíba.

Continue a leitura depois do anuncio.

O jornalista Bruno Pereira, da TV Arapaun, fez uma publicação criticando a prática da pastora e alertando as pessoas. “A gente precisa pagar dízimo para os verdadeiros homens que levam a verdadeira palavra de Cristo, mas não podemos pagar ingresso para ‘ouvir’ a palavra de Deus”, publicou no Instagram.

A repercussão do caso fez com que a pastora se posicionasse. Em nota assinada por advogados da religiosa, é destacado que ela não comete o crime de estelionato. “Pastora Renalida jamais se utilizou da fé e da crença religiosa do indivíduo para enganar outrem e auferir qualquer vantagem patrimonial”, diz trecho do posicionamento.

Os advogados afirmaram ainda que toda doação recebida pela religiosa é “convertida para a obra de Deus, não estando ninguém obrigado a doar”. “Lembramos que nada há que possa macular a conduta da pastora Renalida ao longo desses quase 20 anos de compromisso com a Igreja de Cristo”.

Fonte: G1


Postagem Anterior Próxima Postagem