Mulher é presa após jogar a própria filha de 4 anos contra estante em Jesuítas


Uma conselheira tutelar, procurou a Polícia Militar de Jesuítas, por volta das 22h00 de ontem (28), informando que uma criança de 4 anos teria sido espancada pela mãe e que a autora dos fatos estaria em um bar da cidade.

Continue a leitura depois do anuncio.

De imediato foi encontrado a equipe do conselho e informado que a autora das agressões seria uma pessoa e a vítima sua filha a menor de 4 anos, foi orientado para que a equipe do Conselho Tutelar levasse a criança até a delegacia e esta equipe se dirigiu até o bar.

Chegando no local, a equipe foi recebida pelo proprietário, onde informou que a pessoa tinha acabado de sair do bar em um Corola prata, que foi em direção a sua residência. Foi deslocado no mesmo sentido e na Rua João XXIII, onde foi avistado um Corola parado com uma mulher parada atrás do veículo, realizado a abordagem foi pedido se tal pessoa se tratava da acusada, a mesma confirmou quando solicitado para que a mesma entrasse na viatura, esta falou que não iria e com as mãos erguidas, com os dedos formando uma garra tentou arranhar o rosto do Policial.

De imediato utilizando técnicas de imobilização, esta equipe jogou a autora no chão a algemando, a mesma apresentava visível estado de embriaguez e foi transportada no compartimento traseiro da viatura, devido a sua agressividade.

Deslocado até o DPM de Jesuítas, a autora falou para o policial agredido, que isso não ficaria assim e que ele pagaria pelo que fez.

Foi confeccionado o laudo de lesão corporal e levado a vítima até o hospital de Jesuítas, porém o médico plantonista se recusou a preencher o laudo de lesão, alegando que uma medida judicial o impedia.

A criança apresentava um inchaço no olho esquerdo e um galo na testa que segundo o seu tio que presenciou as agressões, foi no momento que a mãe agarrou sua filha pela camisa e a arremessou contra uma estante de madeira. Diante dos fatos foi confeccionado o boletim de ocorrência.

Omissão de Socorro 

Nesta terça-feira (28), durante atendimento de ocorrência de maus tratos solicitado que a equipe do conselho tutelar, levasse a vítima a criança de 4 anos de idade de maus tratos, para atendimento médico e preenchimento de laudo de lesão, relatam que ao chegar no hospital de Jesuítas foram atendidas por uma enfermeira, e que após explicar a situação foram informadas que o médico plantonista, o qual foi repassado apenas os primeiros nomes, não realizava este tipo de atendimento, e mesmo com clara lesão no rosto a vítima não recebeu o atendimento do médico. Entrado em contato com o Delegado de plantão, este orientou que boletim de omissão de socorro fosse confeccionado.

Fonte: Portal NSR


Postagem Anterior Próxima Postagem