Apesar de avanço na vacinação, Toledo segue em Alerta Vermelho




 

Realizada na manhã desta terça-feira (31), a primeira reunião do Centro de Operações Emergenciais (COE) após o anúncio de que Toledo seria o único município de um país em desenvolvimento que terá um estudo observacional da Pfizer no qual se avaliará o comportamento da Covid-19 entre uma população acima dos 12 anos de idade plenamente vacinada foi marcada pelo otimismo entre os membros do grupo de trabalho, mas não pela euforia. Afinal, a pandemia de Covid-19 ainda não acabou e os dados epidemiológicos que compõem a matriz de risco criada pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e pelo Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) apontam que o município atingiu 22 pontos numa escala de 0 a 40, permanecendo em Alerta Vermelho, o que indica alto risco de contaminação pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2) - na semana passada, eram 21 pontos.

 

Continue a leitura depois do anuncio.

O quadro, ainda preocupante, se deve sobretudo a dois fatores: ao aumento de 20% no número de óbitos entre as semanas epidemiológicas 32 a 34/2021 (20%, de 5 para 6) e da taxa média de ocupação dos leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) de unidade de terapia intensiva (UTI) adulto por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) na 20ª Regional de Saúde, que ficou em 76,34% entre 22 e 28/8. 

 

Outro ponto abordado durante a reunião foi sobre a presença da variante delta no Paraná. Embora tenham sido confirmados casos em Cascavel e Ouro Verde do Oeste, não foi notada nenhuma mudança no comportamento clínico dos pacientes com sintomas de Covid-19 que buscam atendimento.

 

Contudo, os membros do COE pontuaram a respeito da necessidade de manter a população mobilizada em relação aos cuidados que a imensa maioria vem tendo desde o início da pandemia. Usar máscara corretamente, passar álcool em gel ou lavar as mãos várias vezes ao dia, manter distanciamento social, evitar aglomerações e cobrir boca e nariz com o braço sempre que tossir ou espirrar são cuidados necessários até para os 40.621 moradores de Toledo que receberam as duas doses ou a dose única da vacina contra a Covid-19, as quais representam 33,44% da estimativa de população com mais de 12 anos (28,09% da total) - se for levar em conta só quem tomou a primeira dose ou a dose única, esses índices sobem, respectivamente, para 93,01% e 78,14%.

 

Estudo

Outro ponto abordado durante o encontro foi o estudo observacional que a Pfizer desenvolverá em Toledo. Após detalhar como a parceria firmada pelo município com a farmacêutica norte-americana, o Plano Nacional de Imunização (PNI) e a Universidade Federal do Paraná (UFPR) foi construída etapa após etapa, destacou-se que a escolha do município se deve a vários fatores, sendo um reconhecimento ao trabalho realizado em várias frente de combate à Covid-19: testagem, diagnóstico, monitoramento, tratamento, vacinação, processamento de dados, estrutura e qualidade de vigilância epidemiológica entre outros.

 

Os membros do COE também destacaram os ótimos resultados que o esforço dos servidores da Secretaria Municipal de Saúde, iniciado na última quarta-feira (25), em vacinar o maior número de pessoas no menor tempo possível tem apresentado em um pouco menos de uma semana de trabalho. A população, sobretudo os mais jovens, têm aderido de forma excepcional à campanha de vacinação - em cinco dias, 16.666 doses foram aplicadas, uma média de 3.333,2/dia, quase cinco vezes mais que o ritmo de vacinação registrado até então (em torno de 700 doses/dia).



 

Postagem Anterior Próxima Postagem