Advogada processa ex-marido por insignificância peniana e pede R$ 200 mil de indenização




Uma Advogada, de 26 anos, residente no município de Porto Grande, no Amapá, está processando o seu ex-marido, o comerciante A.C.D, de 53 anos, alegando insignificância peniana.



Continue a leitura depois do anuncio.

Embora seja inédito no Brasil, o caso do Amapá é muito frequente nos Estados Unidos e Canadá, isso porque, segundo especialista, tal problema inibe a libido feminina, o que acaba por interferir de forma impactante a vida a dois.

Religião como desculpa

Apesar do casal ter vivido por dois anos uma relação de namoro e noivado, durante este tempo, a advogada e o comerciante não tiveram nenhum tipo de relação sexual, até então, em função da convicção religiosa do ex-marido. Entretanto, hoje, a advogada acusa o homem de ter usado a motivação religiosa para esconder o problema crônico


Fonte: G1


Postagem Anterior Próxima Postagem