Homem é condenado a 11 anos de prisão por arrastar e matar idoso atropelado no interior do Paraná

Foto de: Reprodução

Um homem foi condenado a 11 anos de prisão em regime fechado por matar um idoso após atropelar e arrastá-lo por mais de 500 metros em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná. O júri popular ocorreu nesta terça-feira (10).

Continue a leitura depois do anuncio.

Eder de Andrade foi condenado por homicídio simples, e teve elevação de pena por conduta, antecedente e circunstância. Ele poderá recorrer da decisão em liberdade, uma vez que respondeu ao processo nesta condição.

O caso aconteceu em 2014, quando a vítima atravessava uma faixa de pedestre. Depois do atropelamento, Eder de Andrade abandonou o veículo e fugiu do local do acidente sem prestar socorro.

Ele chegou a afirmar à polícia que não estava na condução da caminhonete no acidente pois havia sido vítima de um assalto armado e era mantido refém no veículo, mas nesta terça, durante o julgamento, ele confessou o crime.

Essa foi a primeira vez que Eder falou depois de dar a primeira versão à polícia. Ele pediu desculpas à família.

Por meio do advogado Rudolf Christensen, a família da vítima disse estar satisfeita com o resultado. O assistente de acusação afirmou que agora aguarda as próximas etapas do processo.

O G1 tenta contato com a defesa de Eder, mas não houve retorno até a publicação desta reportagem.

Relembre o caso
Rubens Krum de Andrade tinha 82 anos quando foi vítima do atropelamento. Ele morreu no local.

Depois de abandonar o veículo, o homem chegou a ir até um estabelecimento pedir para utilizar o telefone. Ele afirmou à polícia que não estava conduzindo o carro, mas que havia sido vítima de um assalto e estava como refém no veículo.

A versão foi desmentida por testemunhas, conforme o processo.

Desde então, ele ficou em silêncio durante todos as outras oitivas.

“É uma mistura de dor, perda e revolta pela situação”, desabafou a filha da vítima à época.

Fonte: G1



Postagem Anterior Próxima Postagem