Construção de capela mortuária no Porto Alegre é tema de audiência pública

Foto de: Assessoria


Continue a leitura depois do anuncio.

A administração municipal convida a população de Toledo para participar de audiência pública marcada para este domingo (18), às 8h30, na Igreja Matriz Menino Deus (Rua Porto União, 901). Em debate, a construção da capela mortuária na região do Jardim Porto Alegre, uma demanda antiga da comunidade.

 

Na ocasião, logo após a missa das 7h30, com todos os protocolos de prevenção ao novo coronavírus sendo respeitados, serão apresentadas as quatro opções de áreas onde o equipamento público (com hall, duas salas de velório, copa, quarto e sanitários) poderá ser implantado - todas elas a menos de 1.000 metros da paróquia. Duas delas - uma com 595 e outra com 462 metros quadrados - estão dentro do Parque Urbano Frei Alceu, próximo à Escola Municipal Santos Dumont. 

 

A terceira, com 995,12 metros quadrados, encontra-se na esquina da Avenida Rio Grande do Sul com a Rua Ramiro Zibetti. Ao final desta via, outra área, com 489,97 metros quadrados, encontra-se a quarta opção de projeto. Destes terrenos, três pertencem ao município - somente o que se encontra na esquina da Rio Grande do Sul com a Ramiro Zabetti depende de compra ou permuta com os atuais proprietários. 

 

O prefeito Beto Lunitti convida a população do Porto Alegre a participar da audiência pública e explica o motivo de se debater este assunto junto à comunidade. “Atualmente os moradores da região podem contar exclusivamente com as estruturas da Menino Deus para a realização dos ritos fúnebres de seus entes queridos. Isso, contudo, faz com que aqueles que não professam a fé católica buscarem realizar o velório em locais distantes. O poder público, atento à situação, está disposto a disponibilizar este serviço para todos que estiverem passando por uma situação tão complicada como a morte de uma pessoa querida, e oferece quatro opções para a comunidade escolher qual é a melhor”, destaca.  “Queremos agradecer ao pároco [padre Geraldo Marino Ferreira] e ao vigário [frei Vonibaldo Freder] da Matriz por franquearem este espaço em um horário em que este é bastante frequentado para debatermos esse assunto. É importante a presença de todos a esta audiência, pois ela tem caráter deliberativo. O que a comunidade decidir, será colocado em prática pelo poder público e tenho certeza que é deste momento de diálogo que surgirá a melhor solução para a questão”, frisa.


 



Postagem Anterior Próxima Postagem