original

Iluminação: nova empresa assume serviços e população não será prejudicada

Foto de: Reprodução

Surpreendida pelo pedido de rescisão do contrato de “manutenção preventiva e corretiva de iluminação pública, envolvendo fornecimento de mão de obra, materiais e deslocamento, na zona urbana e nos distritos/localidades do município” feito pela Energepar Empreendimentos Elétricos Ltda., a Prefeitura de Toledo está a caminho da solução para o problema que a interrupção deste serviço poderia causar à população. Rapidamente, a administração municipal abriu um novo registro de preços do qual a Dacon Construtora Eireli sagrou-se vencedora.

Continue a leitura depois do anuncio.

Com sede em Passos/MG, a empresa firmou, nesta quinta-feira (20), compromisso com duração de 1 ano e valor de R$ 1.689.499,96 - desconto de 14,86% em relação ao valor máximo do pregão (R$ 1.984.375,32). “É um desconto razoável, mas esta quantia é a máxima, pois o município só desembolsa pelos equipamentos adquiridos e pelos serviços efetivamente prestados”, explica o secretário de Habitação, Serviços e Obras Públicas, Neuroci Antonio Frizzo

A partir da assinatura do contrato entre Dacon e Prefeitura de Toledo, o tempo de interrupção do serviço de manutenção da iluminação pública, encerrado pela Energepar no último sábado (15), será mínimo. “A Dacon prestava serviço a um município no Rio Grande do Sul e agora está deslocando esta estrutura para cá. A partir da conversa que tivemos com o advogado da empresa na semana passada, estimamos o prazo de 15 dias para que os serviços possam ser retomados”, detalha Frizzo. “Esta contratação é fruto de um processo licitatório feito com muita agilidade, em tempo recorde, 25 dias. Isso traduz a preocupação desta gestão e o compromisso dos nossos servidores públicos com a qualidade de vida da população de Toledo”, salienta. 

Em relação à empresa que descumpriu integralmente o compromisso, o secretário informa que o município tomará todas as medidas cabíveis. “O município já notificou e fará a execução do contrato, ou seja, a penalização da Energepar, para que não volte a repetir esta atitude em outros entes federativos. Não podemos deixar passar em branco uma prestação de serviços que, de uma hora para outra, seja abandonada, causando prejuízo aos cidadãos”, sublinha.

Fonte: Assessoria



Postar um comentário

Obrigado!

Postagem Anterior Próxima Postagem
close