original

Estudante de Toledo está na maior feira de ciências e engenharia do mundo

Foto de: Redes Sociais

A estudante Ana Carolina Gonçalves Selva, de 17 anos, que se formou ano passado no Colégio Estadual Jardim Porto Alegre, em Toledo (Oeste) é a representante do Paraná na Regeneron ISEF 2021, dos Estados Unidos, maior feira internacional de Ciências e Engenharia. O evento começou domingo (16) e, neste ano, é virtual por causa da pandemia.

Continue a leitura depois do anuncio.

A estudante está entre os cerca de 1.800 jovens participantes, de 65 países. São 1.480 projetos, em 21 categorias. Ana Carolina concorre na categoria Microbiologia com outros 58 trabalhos. Com o projeto "Potencial fungitóxico de diferentes extratos vegetais sobre o desenvolvimento in vitro do fitopatógeno causador da antracnose em frutos de bananeira - Fase IV", Ana Carolina concorre na categoria Microbiologia com outros 58 trabalhos.

A pesquisa foi iniciada pela estudante ainda no 8° ano do Ensino Fundamental no Clube de Ciências da escola. "Decidi pelo tema porque o meu bisavô tinha uma pequena produção de bananas em casa e havia uma doença que acometia muito a plantação, a antracnose. Ele não tinha condição de passar um agroquímico por causa do preço elevado e dos riscos à saúde e ao meio ambiente. Falei com minha orientadora, Dionéia Schauren, para entender melhor isso e se eu poderia criar alternativas para os pequenos produtores", conta.

A solução encontrada, então, foi avaliar o potencial de diferentes extratos naturais de baixo custo criados a partir de água e folhas de diferentes plantas aplicadas em fungos dentro de placas de petri em um meio de cultura que permitia o desenvolvimento do organismo. Em busca do resultado mais eficaz, no ano passado a estudante conseguiu chegar a um resultado promissor com um extrato de arruda, que em alta concentração e controlou 70% da colônia de fungos.

Ela explica que foi um resultado muito positivo, porque no desenvolvimento in vitro há todas as condições especiais para que o fungo possa crescer. No campo não funciona assim, devido à variação de temperatura. Por isso, segundo a estudante, os resultados no campo podem ser muito mais positivos do que in vitro.

PREMIADO - O trabalho de Ana Carolina foi um dos mais premiados na 19ᵃ edição da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), realizada no fim de março, sendo um deles selecionada para a Regeneron ISEF 2021 junto com outros 17 trabalhos do país.

Além disso, ficou em 1° lugar em Ciências Biológicas, foi o destaque do Paraná, recebeu o prêmio Outstanding Achievement for Ability and Creativity In Vitro Biology (Conquista notável por habilidade e criatividade em biologia in vitro), da Society for in Vitro Biology, além de também ser selecionado para a National Youth Science Camp (NYSC), evento dos Estados Unidos que acontece virtualmente de 28 de junho a 21 de julho.

PARTICIPAÇÃO - Nesta terça-feira (18) a estudante recebeu visitantes no seu estande virtual da ISEF (com vídeo, artigo, fotos de diário de bordo e slides) e respondeu perguntas sobre a pesquisa. Ela ainda está participando de palestras na mostra promovida pela Society for Science que vai até sábado (21). A cerimônia de premiação acontece dias 26 e 27 deste mês.

O total de prêmios chega a US$ 5 milhões e cada estudante da delegação brasileira já ganhou um notebook, fone de ouvido, pacote de dados e uma camiseta da feira.

"Apresentei meu projeto em inglês e foi uma troca de experiências maravilhosa, tive contato com pessoas de outros países, conheci outros estudantes que desenvolvem pesquisa. Está sendo maravilhoso representar a cidade de Toledo, o Paraná e também o Brasil", destaca Ana Carolina.

A estudante aguarda o vestibular da UFPR, no qual pretende concorrer a uma vaga no curso de Ciências Biológicas. "Minha irmã e uma colega dela estão dando continuidade à pesquisa no colégio e quando entrar na universidade pretendo seguir com mais testes, em novos equipamentos e também testar no campo para avaliar a eficácia", diz.

IN MEMORIAN - Além de Ana Carolina, outra estudante do Clube de Ciências do Colégio Estadual Jardim Porto Alegre estava entre os 18 brasileiros selecionados para a ISEF 2021. Amanda Vitória Elgert Becker, então do 2° ano do Ensino Médio, foi uma das nove selecionadas do evento pela Mostratec (Mostra Internacional de Ciência e Tecnologia), outra feira que concede vagas à ISEF e que acontece anualmente no Rio Grande do Sul, com o trabalho "Desenvolvimento de embalagem biodegradável tipo espuma a partir de diferentes amidos - Fase II". Amanda faleceu em um acidente de carro em janeiro deste ano, mas o seu trabalho seguiu inscrito e está concorrendo na categoria Materiais de Ciência.

CLUBE DE CIÊNCIAS - Celeiro de projetos científicos, o Clube de Ciências do CE Jardim Porto Alegre foi criado em 2014 com o intuito de aumentar as atividades práticas na escola e cresceu ao longo dos anos, atraindo o interesse dos estudantes que querem se tornar cientistas.

Somente no ano passado recebeu mais de 100 premiações em quase 30 eventos nacionais e internacionais com 20 projetos. "No início do ano tivemos um recorde de 70 projetos iniciados, mas a pandemia acabou prejudicando o desenvolvimento e apenas 20 foram concluídos", diz a coordenadora Dionéia Schauren. Com os dois trabalhos selecionados este ano, o clube chegou à marca de cinco projetos que foram a ISEF.

O Clube, que acolhe estudantes interessados desde o 6° ano, já chegou a ter 150 integrantes e espera em breve abrir uma nova seleção, já que no momento opera com um número reduzido de alunos e limitações impostas pela pandemia.

Fonte: AEN



Postar um comentário

Obrigado!

Postagem Anterior Próxima Postagem
close