Veja relatos de pessoas que venceram a Covid-19 em Toledo

Foto de: Assessoria

Em meio às tantas notícias tristes que chegam às pessoas neste período difícil da pandemia, duas histórias renovam as esperanças. O técnico em enfermagem Marcos Santos e o radialista Airton Ferreira venceram a batalha contra o coronavírus. Segundo o relato dos recuperados, foram dias convivendo com incertezas e medos encerrados com a alta hospitalar. 


Desde o início da pandemia, o servidor público atuava no Pronto Atendimento Municipal Doutor Jorge Nunes (PAM/Mini Hospital) atendendo pacientes com sintomas de coronavírus. Após ser contaminado, ele permaneceu vários dias na enfermaria no PAM, sendo assistido pelos colegas de trabalho, e com a piora do quadro foi transferido para a unidade de terapia intensiva (UTI) do Hospital Beneficente Moacir Micheletto. Marcos recebeu alta na quarta-feira (03). Ao todo, o técnico em enfermagem permaneceu 29 dias internado.

Em vídeo divulgado nas suas redes sociais, Marcos demonstrou a emoção de quem vivenciou momentos de muita dificuldade. “Obrigado a todos que rezaram por mim. Quero dizer que foram 29 dias de angústia e sofrimento para quem estava aqui fora e de lutas e incertezas para mim que estava do lado de dentro. Graças a Deus eu estou de volta em casa, junto da minha família. Mais uma vez agradeço as orações, o cuidado e carinho de todos”, expôs em rede social. 

Marcos agora faz fisioterapia respiratória e motora, pois devido ao longo internamento houve perda de muita massa muscular. “Estou um pouco debilitado, com um pouco de dificuldade para caminhar, mas está tudo muito tranquilo até, após tudo o que passei. Resumindo, estou muito bem”.

Experiência semelhante viveu o radialista Airton Ferreira. Ainda em recuperação, o comunicador realizou uma visita ao prefeito Beto Lunitti e ao vice Ademar Dorfschmidt na última segunda-feira (01). “Era uma situação muito difícil. Eu acompanhei muitas pessoas sendo atendidas e que não conseguiram sobreviver à Covid-19”. Emocionado, Airton falou sobre o medo e a incerteza se iria sobreviver ao ouvir o barulho “dos corpos sendo embalados em sacos e enrolados com fitas”. “Foram dias horríveis, mas saí vencedor”, salientou.

“Estes relatos são um alento para nós”, disse o prefeito Beto Lunitti. Segundo o administrador municipal, estes relatos demonstram a importância de se prevenir. “São pessoas trabalhadoras, conhecidas nossas e que convivemos no dia a dia. Airton é um grande amigo, o Marcos um servidor público. Nos emociona ver eles se recuperando”. Ademar Dorfschmidt também comemorou o momento. “Estamos felizes em vê-los bem e melhorando a cada dia”, disse.

Momentos difíceis:
Para o filho, Airton Tiago Ferreira, acompanhar o pai nesta situação foi muito difícil. “Ele ficou três dias no ‘Mini Hospital’ e eu acompanhei ele nesse período”. O radialista Airton Ferreira chegou a ter 80% dos pulmões comprometidos. “Isso dificultava a saturação (quantidade de oxigênio que está sendo transportada na circulação) e ele não conseguia ficar sem o suporte de oxigêncio”, comentou. 

O pior momento, segundo Airton Tiago, foi o anúncio da transferência para o Hospital Beneficente Moacir Micheletto, em Assis Chateaubriand. “Sabíamos que era para a unidade de terapia intensiva  e meu mundo perdeu o chão”. 

A partir deste momento, as notícias vinham apenas uma vez por dia. "Fazíamos chamada de vídeo com ele, mas sempre era uma incerteza e um desespero muito grande, pois recebíamos a todo momento notícias de pessoas morrendo com a mesma doença que o meu pai. Nesses dias passamos os piores momentos de nossas vidas, sem poder fazer nada e sabendo que a qualquer momento poderia acontecer o pior. Essa doença não é brincadeira, ela mata e mata quem nós amamos”. 

Após oito dias, a família recebeu a ligação avisando da alta hospitalar. “Quando me ligaram que ele havia recebido alta fui às lágrimas. Foi uma notícia maravilhosa, peguei o carro junto com minha mãe e saímos buscar ele no mesmo momento. Trouxeram ele numa cadeira de rodas, nos abraçamos e choramos muito”, comentou. Agora o radialista se recupera das sequelas da Covid-19 com fisioterapia respiratória e os demais tratamentos pós internamento.

Agradecimento às equipes do PAM:
Sobre a equipe do Pronto Atendimento Municipal, Tiago revela ter sido excelente. “Fomos muito bem assistidos. Os trabalhadores de lá nos deram todo o suporte até o momento onde não havia mais o que ser feito lá. Só tenho a agradecer a cada um deles”, frisou.

Fonte: Assessoria