Anuncio 728

Após leitos lotados, Toledo terá medidas mais duras ao combate ao Covid-19





Em coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira (22) o Governo Municipal anunciou medidas de endurecimento no combate ao coronavírus. A decisão foi tomada devido ao aumento de pacientes contaminados no período entre 14 a 19 de fevereiro, que chegou a 732 pacientes e cinco óbitos, e a ocupação de 99,52% dos leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) na Macrorregião Oeste (Francisco Beltrão, Pato Branco, Foz do Iguaçu, Cascavel e Toledo).

 

As ações têm o intuito de conter o aumento do contágio, acelerado na última semana epidemiológica. Entre elas estão a diminuição do horário de funcionamento dos estabelecimentos, limitado agora entre 6h e 23h, aumento da fiscalização em relação ao cumprimento das normas sanitárias e mais rigor nas autuações, como a possibilidade de fechamento por 14 dias dos estabelecimentos que não se adequarem às exigências do Decreto Nº 26, de 27 de janeiro de 2021.

 

A maior  preocupação, segundo a secretária de Saúde Gabriela Kucharski, é a ocupação dos leitos de UTI. Dos 208 leitos disponíveis para a Macrorregional Oeste, 207 estavam ocupados na manhã desta segunda-feira. “Temos três pacientes da 20ª Regional de Saúde aguardando vaga, sendo um de Toledo. Isso é frustrante, pois corremos o risco de perder pacientes sem possibilidade do encaminhamento para a UTI”, disse a secretária lembrando que o comitê de crise da 20ª Regional já estuda adotar um protocolo sobre o atendimento prioritário aos pacientes que precisam de UTI.

 

De acordo com o prefeito Beto Lunitti a fiscalização será ampliada e os estabelecimentos que não cumprirem as regras e normas sanitárias serão fechados por quatorze dias. “Este é o ciclo do vírus. O decreto foi modificado apenas em relação ao horário de funcionamento dos estabelecimentos, das 6h às 23h, unificando com o que já prevê o decreto estadual, facilitando a fiscalização pelas demais forças de segurança”. Beto ainda acrescentou que o Decreto Nº 26, de 27 de janeiro de 2021, apresenta todas as normas técnicas para os estabelecimentos manterem o funcionamento.

 

Os 732 contaminados na última semana, caso se confirme a média que é de uma morte para cada 100 pacientes, representam mais sete óbitos daqui 14 dias. Essa situação motivou as ações mais drásticas tomadas pelo poder público. “Precisamos agir imediatamente, não podemos esperar”, frisou o vice-prefeito Ademar Dorfschmidt. As fiscalizações orientativas, de acordo com Ademar, foram realizadas e agora é preciso cobrar de quem não cumpre o que consta no decreto. 

 

Sobre os leitos de UTI, o vice-prefeito lembrou que a ampliação das UTI’s para COVID-19 aconteceu de uma forma nunca vista. “Começamos em março de 2020 com 16 e hoje temos 52. Infelizmente, conforme fala da Gabriela (Kucharski), não temos mais disponibilidade de profissionais para abrir mais leitos”. Ademar ainda lembrou que não é falta de responsabilidade do governo o que está acontecendo neste momento. “As pessoas que frequentam as festas clandestinas, que estão em ambientes onde não estão sendo cumpridas as normas de segurança são irresponsáveis e infelizmente estão levando a doença para seus pais, seus avós e demais familiares do grupo de risco”. 

 

Vacinas

 

A secretária Gabriela Kucharski afirmou que a chegada de novas doses são de responsabilidade do Ministério da Saúde. “Temos sido comunicados sobre o recebimento e de forma muito ágil, 24 horas após a chegada de doses, já estamos realizando a dispensação". Até o momento, os números oficiais apontam o recebimento de 5.200 doses e aplicadas 4.609 doses. Foram administradas 3.680, sendo 3.070 para trabalhadores da saúde e 610 para idosos. Já receberam a segunda dose 1.072 trabalhadores da saúde e 109 pessoas das instituições de longa permanência para idosos (ILPI’s). Restam 339 segundas doses para serem dispensadas aos trabalhadores da saúde. O trabalho acontece na Secretaria Municipal de Assistência Social.

 

Portaria 111/2020

 

Ainda no domingo (21), o prefeito Beto Lunitti, assinou a Portaria n° 111/2020, que designa o secretário da SMST, Arthur Rodrigues de Almeida, para exercer a função de ‘autoridade sanitária’. “O intuito é dar funções de autoridade sanitária, com o fim de proceder à fiscalização do cumprimento das medidas relacionadas ao enfrentamento da pandemia de Covid-19”, explicou o prefeito Beto Lunitti. Com a designação, o secretário poderá realizar a expedição de informações, lavratura de intimações e/ou autos de infração, imposição de multas, suspensão e interdição das atividades quando necessário. “Vamos fazer o que for necessário. A missão é proteger a população e se me foi confiada esta designação, faremos com maestria”, afirmou Arthur.


ENTRE NO GRUPO DO WHATSAPP E ACOMPANHE EM PRIMEIRA MÃO!!!

Fonte: >>DIREITOS<<

>>MAIS FOTOS - SE TIVER<<
Fotos: >>DIREITOS<<