19/11/2023 11:06 | Plantão Toledo | 753 visitas

Duas mulheres são vítimas de violência doméstica em Toledo

Duas mulheres foram agredidas por seus companheiros em situações distintas de violência doméstica na cidade de Toledo, no Paraná, no sábado (18). As vítimas sofreram lesões corporais e foram encaminhadas para atendimento médico. Os agressores foram presos em flagrante pela Polícia Militar.

A primeira ocorrência foi registrada por volta das 6h10, na rua Triunfo, onde uma mulher  relatou que seu marido  a agrediu diversas vezes, segurando seu pescoço, a jogando no chão e segurando com muita força seus braços. A vítima disse que as agressões começaram porque ela se negou a comprar uma carteira de cigarro para o autor. Ela informou ainda que o marido ateou fogo em seu quarto, queimando quase todo o cômodo. 

Anuncie sua empresa no Plantão Toledo

A mulher apresentava lesões no pescoço, pés, braço esquerdo e muita dor na coluna cervical. Ela foi socorrida pelo SAMU e levada para a UPA de Toledo. O agressor fugiu do local e não foi localizado pela polícia.

A segunda ocorrência foi registrada por volta das 23h55, na rua Santa Laura, Vila Paulista, onde uma mulher de relatou que seu convivente a agrediu com mordidas no rosto, causando hematomas. A vítima disse que o casal voltava de uma festa e começou a discutir por ciúmes no interior da residência. A irmã da vítima pediu que eles fossem para outro lugar, mas a briga continuou na rua, onde a mulher foi mordida pelo companheiro. Em seguida, eles entraram novamente na casa e se agrediram mutuamente. A mulher conseguiu sair da residência e aguardou a chegada da polícia na calçada. O agressor também apresentava ferimentos no rosto e nas mãos, causados pela vítima em legítima defesa. Ele recebeu voz de prisão e foi encaminhado para a delegacia.

A emergência com o seu pet não acontece com hora marcada! Nessas horas, conte com a Bless Clínica Veterinária

As duas ocorrências foram registradas como lesão corporal no âmbito da violência doméstica e familiar e serão investigadas pela Polícia Civil. As vítimas receberão acompanhamento psicológico e jurídico da rede de proteção à mulher.